• Produção do Livro-reportagem sobre os moradores de rua e voluntários.

    Sem título

  • 1 Introdução

  • 2 Como tudo começa

  • 3 Novo Pulga

  • 4 Caminhos

  • 5 Jovem

  • 6 Além do mais

  • 7 Solução

  • 8 Missão

  • 9 Novato

  • 10 Pseudo-paraíso

  • 11 Humor

  • **12

  • ** Apresentação da reportagem

  • ** Primeiras impressões da observação

  • ** Prévia dos principais conteúdos

    A PRODUZIR

  • ** Detalhes da situação

  • Chegada do Sopão do Templo das Águias:
    Primeiros passos observados deles no local. Comentar sobre a montagem da mesa e rapidez com a qual começam a distribuir a sopa.

  • Saída da Igreja Nova Vida - Boqueirão - para os bairros com o sopão: Comentar sobre o tempo para se agrupar e dividir os participantes em carros. Lembrar dos primeiros moradores de rua atendidos em baixo da ponte. Falar também sobre o agrupamento com a JOCOM

  • Organização do café da manhã da Casa São José: Cometar sobre como a irmã Joaquina organiza os moradores de rua em uma fila e acomoda a todos em seu refeitório para 50 pessoas. Falar sobre a oração e comentários especiais para cada dia da semana.

  • Fazer um relato sobre a entrevista com o Pulga, ou Carlos Umberto. O ex-morador de rua que conseguiu emprego na Casa São José e agora ajuda outras pessoas que permanecem na sua antiga situação. Fazer um relato comentando sobre o perfil de Pulga, sobre as expressões durante a entrevista. Atentar para a respiração “puxada” em alguns momentos, quando ele comentava de alguns detalhes mais pessoais.

  • Primeira parte
    Começar explicando a situação de um ex-morador de rua com problema de álcool que agora trabalha ajudando pessoas que estava na sua antiga situação

  • Segunda parte
    Comentar sobre a aparência “parruda” de Pulga. Ele vestia uma camiseta canarinho, mas que não era de verdade da seleção brasileira de futebol. Tinha números em vermelho. Vestia uma calça de moleton, quase como se fosse dizer que trabalha no pesado sem uniforme.

  • Terceira parte
    Selecionar o diálogo de Carlos comigo. Entrar na parte da história de vida do personagem. Comentar sobre a sua ida para as ruas, sobre o tempo que passou sem teto. Ressaltar ainda a parte em que ele fala sobre Curitiba ser um paraíso para os moradores de rua.

  • Quarta parte
    Dar detalhes sobre a participação de Pulga no Movimento Nacional da População de Rua. Ele entrou no início , logo quando o movimento começou a se organizar em Curitiba.

  • Comboio de carros distribuindo a sopa
    Falar sobre todos os pontos de distribuição do Sopão da Igreja Nova Vida antes de se juntarem à JOCOM. Comentar sobre os meninos da ponte e das crianças que esperam se mudar para o Ganchinho, saindo de uma favela que está sendo desfeita. Explicar que nessa favela em mudança várias pessoas passam a noite na rua (Vampirinha manda o amigo “Vampirinho” mudar seu apelido porque as pessoas já estão achando que eles são irmãos).

  • Distribuição do lanche no café da manhã na Casa São José
    Depois de o refeitório ficar lotado, os moradores de rua já estão ansiosos pela comida. Alguns levantam depois da oração para pegar café no balcão, mas a maioria aguarda as irmãs e voluntárias distribuírem nas mesas. Elas passam em cada uma com grandes bacias com pães franceses recheados com manteiga e mortadela. Mais para o fim, alguns salgados assados são distribuídos e até pães de queijo chegam no final. Lembrar que as irmãs fazem uma segunda rodada quando é necessário.

  • Meninos do Sopão do Templo das Águias saem para verificar quantas pessoas querem a sopa.
    Falar sobre a organização dos rapazes. Eles começam a se agrupar fora do círculo formado pelas cadeiras do sopão e contam quantos estarão disponíveis para explorar a região. Se dividem em grupos menores e saem pelas proximidades perguntando quantos moradores de rua querem a sopa. Já comentar sobre a volta até o posto da sopa e a forma como eles voltam para levar o alimento para as pessoas deitadas nas calçadas da Rua XV de Novembro e proximidades. Lembrar aqui que eles não levam meninas por acharem perigoso ou terem receio de acontecer imprevistos.

  • Falar sobre o menino líder dos jovens na hora de levar o sopão para quem não vai até o posto
    Fazer um perfil explicando como ele toma a iniciativa para agrupar os colegas e levar a sopa, sua abordagem aos moradores de rua e conselhos que nos deu de “não ficar todos em volta do morador” para não intimidá-lo.

  • Primeira parte
    Comentar sobre como ele agita os colegas para se agrupar e contar quantas pessoas nas ruas querem. Explicar como ele interage com os moradores de rua no estilo “brotherage”.

  • Segunda parte
    Depoimentos demais sobre ele. Comentar sobre o que falou o líder do grupo de jovens sobre o menino, a moça que conversou comigo a noite toda o cara que dirigia o segundo carro.

  • Terceira parte
    Conversa com o rapaz.
    Explicar motivações, relacionamentos com os moradores de rua.
    Perguntar se ele já encontrou algum dos moradores de rua fora do horário do Sopão. Qual foi sua reação.
    Explicar sua relação com os pais e como eles encaram seu trabalho voluntário nas noites de sábado.

  • Atividades de assistência Social da Casa São José
    Comentar sobre os serviços oferecidos aos moradores de rua: documentação, encaminhamento médico, para trabalho, assistência jurídica.
    Sala de espera e banho.

  • Sopão do Templo das Águias conversando com pessoas recorrentes na praça
    Comentar sobre quais moradores de rua sempre aparecem por lá. Falar sobre as prostitutas do bordel da praça que pegam a sopa e outros trabalhadores que passam por lá. Falar sobre a Dona Roni, vendedora de flores da banca onde o pessoal se abriga.

  • Sopão da Nova Vida conversando com as pessoas nos pontos de distribuição
    Comentar sobre os objetivos do grupo. Falar sobre a quantidade de pessoas que eles conhecem e ajudam com frequência. Falar sobre o convênio de ajuda a dependentes químicos.
    Comentar também que o próprio líder do grupo foi dependente químico e conseguiu se livrar do vício.

  • Fazer um perfil com o morador de rua Rodrigo, que estava na clínica de reabilitação conveniada ao grupo do Sopão da Nova Vida \ou\ Fazer um perfil sobre o morador de rua que vive embaixo da ponte no Boqueirão, que o grupo tenta levar para a clínica de recuperação
    Entrevistas a serem colhidas

  • Objetivos e motivações do grupo do Sopão do Templo das Águias
    Conversar com Tio Carlinhos sobre como ele começou a ação voluntária. Quais as ambições e objetivos que tinha no início e que tem hoje. Conferir se existe alguma perspectiva para o futuro do grupo.

  • Objetivos e motivações do grupo do Sopão da Igreja Nova Vida
    Conversar com Claudemir Carmona sobre como surgiu o grupo, quanto tempo estão na ativa e perspectivas para o futuro.

  • Objetivos e motivações da Casa São José
    Comentar detalhes da entrevista com Irmã Joaquina Camargo. Sobre expansão e seu sonho de ter um sítio para abrigar os moradores de rua.
    Falar sobre a missão de ajudar os pobres da ordem das irmãs.

  • Perfil de Leandro. Morador de rua recente que está tentando se reestruturar antes de voltar para SP
    Contar a história do rapaz de 25 anos, viciando em crack, que procura ajuda para se reestruturar em uma clínica de reabilitação.

  • Primeira parte
    Comentar sobre a vontade de sair das ruas que Leandro mostrou durante a entrevista na Casa São José. Comentar sobre sua aparência, que não é de um morador de rua tradicional, mas sim de um jovem de sua idade que não passa por esse problema. Cabelo bem cuidado e comunicação fluente.

  • Segunda Parte
    Comentar sobre como ele acabou saindo de São Paulo para morar nas ruas de Curitiba.
    Explicar como ele encara o vício pelo crack.

  • Terceira parte
    Os planos de sair das ruas, arrumar um emprego e se reestruturar antes de voltar para a família em São Paulo.

  • Quarta parte
    Ele saiu correndo e me deu tchau quando uma mulher apareceu para lhe oferecer trabalho.

  • Explicar sobre os relatos de que não é preciso passar fome morando nas ruas da cidade
    Todos os entrevistados moradores de rua comentaram que não passam por esse problema.

  • Comentar sobre locais onde pessoas em situação de rua conseguem seus alimentos
    Explicar como Leandro faz para conseguir comida

  • Menos violência
    Moradores de rua e problemas com a guarda municipal

  • Fazer um perfil do Seu Arí
    Ele é o piadista do grupo moradores de rua que sempre aparece no Sopão do Templo das Águias na Tiradentes.

  • Primeira parte
    Conversar com ele sobre o bom-humor inquebrável. Saber de onde vem todas as piadas.
    Comparar com o que ele fazia antes de morar nas ruas.

  • Segunda parte
    Impressões sobre a aparência de Arí. Comentar sobre como ele anda, se veste, sobre o cabelo de cor peculiar e assim por diante. Perguntar sobre a saúde, já que ele é bem magro.

  • Terceira parte
    Saber sobre a rotina dele pela cidade, quais atividades ele realiza para conseguir dinheiro, onde ele procura ajuda e coisas do tipo.

  • Quarta parte
    Conferir detalhes da entrevista com ele e com a moça que sempre fala com ele. Fazer um perfil misto, com diálogo dos dois sobre Ari.

{"cards":[{"_id":"3705cf4d7f92e3645300001a","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":null,"content":"**Produção do Livro-reportagem sobre os moradores de rua e voluntários.**\n\nSem título"},{"_id":"3705d15b7f92e3645300001b","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":null,"content":"** 1 Introdução**"},{"_id":"3705d5f67f92e3645300001c","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3705d15b7f92e3645300001b","content":"** Apresentação da reportagem"},{"_id":"3705d6d67f92e3645300001d","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3705d15b7f92e3645300001b","content":"** Primeiras impressões da observação"},{"_id":"3705d9337f92e3645300001e","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3705d15b7f92e3645300001b","content":"** Prévia dos principais conteúdos\n\nA PRODUZIR"},{"_id":"3705e3ab7f92e36453000022","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"3705d15b7f92e3645300001b","content":"** Detalhes da situação"},{"_id":"3705db597f92e36453000020","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":null,"content":"**2 Como tudo começa**"},{"_id":"3705e69a7f92e36453000023","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3705db597f92e36453000020","content":"**Chegada do Sopão do Templo das Águias:**\nPrimeiros passos observados deles no local. Comentar sobre a montagem da mesa e rapidez com a qual começam a distribuir a sopa."},{"_id":"3705eab37f92e36453000024","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3705db597f92e36453000020","content":"**Saída da Igreja Nova Vida - Boqueirão - para os bairros com o sopão:** Comentar sobre o tempo para se agrupar e dividir os participantes em carros. Lembrar dos primeiros moradores de rua atendidos em baixo da ponte. Falar também sobre o agrupamento com a JOCOM"},{"_id":"3705f4187f92e36453000025","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3705db597f92e36453000020","content":"**Organização do café da manhã da Casa São José:** Cometar sobre como a irmã Joaquina organiza os moradores de rua em uma fila e acomoda a todos em seu refeitório para 50 pessoas. Falar sobre a oração e comentários especiais para cada dia da semana. "},{"_id":"3705f9117f92e36453000026","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":null,"content":"** 3 Novo Pulga**"},{"_id":"3705faf87f92e36453000027","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3705f9117f92e36453000026","content":"**Fazer um relato sobre a entrevista com o Pulga, ou Carlos Umberto.** O ex-morador de rua que conseguiu emprego na Casa São José e agora ajuda outras pessoas que permanecem na sua antiga situação. Fazer um relato comentando sobre o perfil de Pulga, sobre as expressões durante a entrevista. Atentar para a respiração \"puxada\" em alguns momentos, quando ele comentava de alguns detalhes mais pessoais."},{"_id":"370604187f92e36453000028","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3705f9117f92e36453000026","content":"**Primeira parte**\nComeçar explicando a situação de um ex-morador de rua com problema de álcool que agora trabalha ajudando pessoas que estava na sua antiga situação"},{"_id":"370606ae7f92e3645300002a","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3705f9117f92e36453000026","content":"**Segunda parte**\nComentar sobre a aparência \"parruda\" de Pulga. Ele vestia uma camiseta canarinho, mas que não era de verdade da seleção brasileira de futebol. Tinha números em vermelho. Vestia uma calça de moleton, quase como se fosse dizer que trabalha no pesado sem uniforme."},{"_id":"37060af87f92e3645300002b","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"3705f9117f92e36453000026","content":"**Terceira parte**\nSelecionar o diálogo de Carlos comigo. Entrar na parte da história de vida do personagem. Comentar sobre a sua ida para as ruas, sobre o tempo que passou sem teto. Ressaltar ainda a parte em que ele fala sobre Curitiba ser um paraíso para os moradores de rua."},{"_id":"370610247f92e3645300002c","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":5,"parentId":"3705f9117f92e36453000026","content":"**Quarta parte**\nDar detalhes sobre a participação de Pulga no Movimento Nacional da População de Rua. Ele entrou no início , logo quando o movimento começou a se organizar em Curitiba."},{"_id":"370617fc7f92e3645300002d","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":5,"parentId":null,"content":"**4 Caminhos**"},{"_id":"370628687f92e3645300002f","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"370617fc7f92e3645300002d","content":"**Comboio de carros distribuindo a sopa**\nFalar sobre todos os pontos de distribuição do Sopão da Igreja Nova Vida antes de se juntarem à JOCOM. Comentar sobre os meninos da ponte e das crianças que esperam se mudar para o Ganchinho, saindo de uma favela que está sendo desfeita. Explicar que nessa favela em mudança várias pessoas passam a noite na rua (Vampirinha manda o amigo \"Vampirinho\" mudar seu apelido porque as pessoas já estão achando que eles são irmãos)."},{"_id":"37063af77f92e36453000030","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"370617fc7f92e3645300002d","content":"**Distribuição do lanche no café da manhã na Casa São José**\nDepois de o refeitório ficar lotado, os moradores de rua já estão ansiosos pela comida. Alguns levantam depois da oração para pegar café no balcão, mas a maioria aguarda as irmãs e voluntárias distribuírem nas mesas. Elas passam em cada uma com grandes bacias com pães franceses recheados com manteiga e mortadela. Mais para o fim, alguns salgados assados são distribuídos e até pães de queijo chegam no final. Lembrar que as irmãs fazem uma segunda rodada quando é necessário."},{"_id":"37061dec7f92e3645300002e","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"370617fc7f92e3645300002d","content":"**Meninos do Sopão do Templo das Águias saem para verificar quantas pessoas querem a sopa.**\nFalar sobre a organização dos rapazes. Eles começam a se agrupar fora do círculo formado pelas cadeiras do sopão e contam quantos estarão disponíveis para explorar a região. Se dividem em grupos menores e saem pelas proximidades perguntando quantos moradores de rua querem a sopa. Já comentar sobre a volta até o posto da sopa e a forma como eles voltam para levar o alimento para as pessoas deitadas nas calçadas da Rua XV de Novembro e proximidades. Lembrar aqui que eles não levam meninas por acharem perigoso ou terem receio de acontecer imprevistos."},{"_id":"370647627f92e36453000032","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":6,"parentId":null,"content":"**5 Jovem**"},{"_id":"37064fb27f92e36453000033","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"370647627f92e36453000032","content":"**Falar sobre o menino líder dos jovens na hora de levar o sopão para quem não vai até o posto**\nFazer um perfil explicando como ele toma a iniciativa para agrupar os colegas e levar a sopa, sua abordagem aos moradores de rua e conselhos que nos deu de \"não ficar todos em volta do morador\" para não intimidá-lo."},{"_id":"370655f67f92e36453000034","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"370647627f92e36453000032","content":"** Primeira parte**\nComentar sobre como ele agita os colegas para se agrupar e contar quantas pessoas nas ruas querem. Explicar como ele interage com os moradores de rua no estilo \"brotherage\". "},{"_id":"37065e227f92e36453000035","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"370647627f92e36453000032","content":"**Segunda parte**\nDepoimentos demais sobre ele. Comentar sobre o que falou o líder do grupo de jovens sobre o menino, a moça que conversou comigo a noite toda o cara que dirigia o segundo carro."},{"_id":"370662237f92e36453000036","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"370647627f92e36453000032","content":"**Terceira parte**\nConversa com o rapaz.\nExplicar motivações, relacionamentos com os moradores de rua. \nPerguntar se ele já encontrou algum dos moradores de rua fora do horário do Sopão. Qual foi sua reação.\nExplicar sua relação com os pais e como eles encaram seu trabalho voluntário nas noites de sábado."},{"_id":"37066ad67f92e36453000037","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":7,"parentId":null,"content":"**6 Além do mais **"},{"_id":"3706914e7f92e3645300003b","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":0.25,"parentId":"37066ad67f92e36453000037","content":"**Atividades de assistência Social da Casa São José**\nComentar sobre os serviços oferecidos aos moradores de rua: documentação, encaminhamento médico, para trabalho, assistência jurídica.\nSala de espera e banho."},{"_id":"3706849c7f92e3645300003a","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":0.5,"parentId":"37066ad67f92e36453000037","content":"**Sopão do Templo das Águias conversando com pessoas recorrentes na praça**\nComentar sobre quais moradores de rua sempre aparecem por lá. Falar sobre as prostitutas do bordel da praça que pegam a sopa e outros trabalhadores que passam por lá. Falar sobre a Dona Roni, vendedora de flores da banca onde o pessoal se abriga."},{"_id":"370679417f92e36453000038","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"37066ad67f92e36453000037","content":"**Sopão da Nova Vida conversando com as pessoas nos pontos de distribuição**\nComentar sobre os objetivos do grupo. Falar sobre a quantidade de pessoas que eles conhecem e ajudam com frequência. Falar sobre o convênio de ajuda a dependentes químicos.\nComentar também que o próprio líder do grupo foi dependente químico e conseguiu se livrar do vício."},{"_id":"37069aa37f92e3645300003c","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":8,"parentId":null,"content":"**7 Solução**"},{"_id":"37069cae7f92e3645300003d","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"37069aa37f92e3645300003c","content":"**Fazer um perfil com o morador de rua Rodrigo, que estava na clínica de reabilitação conveniada ao grupo do Sopão da Nova Vida \\\\ou\\\\ Fazer um perfil sobre o morador de rua que vive embaixo da ponte no Boqueirão, que o grupo tenta levar para a clínica de recuperação**\nEntrevistas a serem colhidas"},{"_id":"3706d0e77f92e3645300003e","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":9,"parentId":null,"content":"**8 Missão**"},{"_id":"3706db1f7f92e3645300003f","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3706d0e77f92e3645300003e","content":"**Objetivos e motivações do grupo do Sopão do Templo das Águias**\nConversar com Tio Carlinhos sobre como ele começou a ação voluntária. Quais as ambições e objetivos que tinha no início e que tem hoje. Conferir se existe alguma perspectiva para o futuro do grupo."},{"_id":"3706eccb7f92e36453000040","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3706d0e77f92e3645300003e","content":"**Objetivos e motivações do grupo do Sopão da Igreja Nova Vida**\nConversar com Claudemir Carmona sobre como surgiu o grupo, quanto tempo estão na ativa e perspectivas para o futuro."},{"_id":"3706fa297f92e36453000041","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3706d0e77f92e3645300003e","content":"**Objetivos e motivações da Casa São José**\nComentar detalhes da entrevista com Irmã Joaquina Camargo. Sobre expansão e seu sonho de ter um sítio para abrigar os moradores de rua.\nFalar sobre a missão de ajudar os pobres da ordem das irmãs."},{"_id":"3706fef07f92e36453000042","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":10,"parentId":null,"content":"**9 Novato**"},{"_id":"3707014b7f92e36453000043","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3706fef07f92e36453000042","content":"**Perfil de Leandro. Morador de rua recente que está tentando se reestruturar antes de voltar para SP**\nContar a história do rapaz de 25 anos, viciando em crack, que procura ajuda para se reestruturar em uma clínica de reabilitação."},{"_id":"370706e67f92e36453000044","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3706fef07f92e36453000042","content":"**Primeira parte**\nComentar sobre a vontade de sair das ruas que Leandro mostrou durante a entrevista na Casa São José. Comentar sobre sua aparência, que não é de um morador de rua tradicional, mas sim de um jovem de sua idade que não passa por esse problema. Cabelo bem cuidado e comunicação fluente."},{"_id":"37070cd07f92e36453000045","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3706fef07f92e36453000042","content":"**Segunda Parte**\nComentar sobre como ele acabou saindo de São Paulo para morar nas ruas de Curitiba.\nExplicar como ele encara o vício pelo crack."},{"_id":"370713047f92e36453000046","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"3706fef07f92e36453000042","content":"**Terceira parte**\nOs planos de sair das ruas, arrumar um emprego e se reestruturar antes de voltar para a família em São Paulo."},{"_id":"37071a657f92e36453000047","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":5,"parentId":"3706fef07f92e36453000042","content":"**Quarta parte**\nEle saiu correndo e me deu tchau quando uma mulher apareceu para lhe oferecer trabalho."},{"_id":"3713ce997f92e3645300004f","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":10.5,"parentId":null,"content":"**10 Pseudo-paraíso**\n"},{"_id":"37141e057f92e36453000050","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3713ce997f92e3645300004f","content":"**Explicar sobre os relatos de que não é preciso passar fome morando nas ruas da cidade**\nTodos os entrevistados moradores de rua comentaram que não passam por esse problema."},{"_id":"371421987f92e36453000051","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3713ce997f92e3645300004f","content":"**Comentar sobre locais onde pessoas em situação de rua conseguem seus alimentos**\nExplicar como Leandro faz para conseguir comida"},{"_id":"371426317f92e36453000052","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3713ce997f92e3645300004f","content":"**Menos violência**\nMoradores de rua e problemas com a guarda municipal"},{"_id":"3713b52d7f92e36453000048","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":11,"parentId":null,"content":"**11 Humor**"},{"_id":"3713b8567f92e3645300004a","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":1,"parentId":"3713b52d7f92e36453000048","content":"**Fazer um perfil do Seu Arí**\nEle é o piadista do grupo moradores de rua que sempre aparece no Sopão do Templo das Águias na Tiradentes."},{"_id":"3713bbfc7f92e3645300004b","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":2,"parentId":"3713b52d7f92e36453000048","content":"**Primeira parte**\nConversar com ele sobre o bom-humor inquebrável. Saber de onde vem todas as piadas.\nComparar com o que ele fazia antes de morar nas ruas."},{"_id":"3713c1917f92e3645300004c","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":3,"parentId":"3713b52d7f92e36453000048","content":"**Segunda parte**\nImpressões sobre a aparência de Arí. Comentar sobre como ele anda, se veste, sobre o cabelo de cor peculiar e assim por diante. Perguntar sobre a saúde, já que ele é bem magro."},{"_id":"3713c5117f92e3645300004d","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":4,"parentId":"3713b52d7f92e36453000048","content":"**Terceira parte**\nSaber sobre a rotina dele pela cidade, quais atividades ele realiza para conseguir dinheiro, onde ele procura ajuda e coisas do tipo."},{"_id":"3713c8567f92e3645300004e","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":5,"parentId":"3713b52d7f92e36453000048","content":"**Quarta parte**\nConferir detalhes da entrevista com ele e com a moça que sempre fala com ele. Fazer um perfil misto, com diálogo dos dois sobre Ari."},{"_id":"3714294f7f92e36453000053","treeId":"3705cf267f92e36453000017","seq":1,"position":13,"parentId":null,"content":"**12 "}],"tree":{"_id":"3705cf267f92e36453000017","name":"Livro-reportagem Leonardo Müller","publicUrl":"livro-reportagem-leonardo-muller"}}